O ala-pivô Chris Andersen, do Denver Nuggets, atravessa a melhor fase de sua carreira. Em janeiro de 2006 dificilmente alguém apostaria no jogador. Nesta época ele foi suspenso por dois anos pelo uso de drogas. Andersen retornou no ano passado, mas começou a chamar atenção novamente neste ano, por causa de suas boas atuações.

Andersen é o segundo reserva mais efetivo dos Nuggets atualmente, atrás apenas de J.R. Smith. Com sua energia defensiva, rebotes e tocos, ele é a primeira opção do técnico George Karl para substituir a dupla de pivôs, formada por Kenyon Martin e Nenê. Suas médias de 6,4 pontos, 6,2 rebotes e 2,5 tocos por jogo são as melhores da carreira.

“Eu sinto que ele tem uma habilidade incomum em competir com mais firmeza do que os oponentes”, disse George Karl. “Ele traz energia para o time. A história dele é pouco comum, mas prova o caráter dele”.

Mas ele não tem agradado apenas os companheiros de time e a comissão técnica. O “Homem Pássaro” é um dos jogadores mais populares da torcida dos Nuggets. A camisa número 11 do atleta já é uma das mais vendidas na loja do time e fãs mirins gostam de imitar o cabelo moicano do veterano.

A aparência de “bad boy” do ala-pivô de 30 anos atrai os fãs. Os jogadores do Denver, inclusive, deram o apelido de modelo ao jogador. “Modelo?”, gritou Andersen, com um sorriso no rosto. “Eu acho que poderia ser”, brincou.

Andersen afirmou que mudou e que não pensa mais em bebida e em drogas. “Eu tive muitas coisas na minha vida que me davam dor de cabeça. Comecei a descontar isso na bebida, bebia para tudo. Hoje não penso em fugir dos problemas, quero enfrentá-los”, concluiu.

Hello world!

maio 30, 2009

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!